23 de dezembro de 2015

Caldos Vegetarianos

Uma das coisas que me deixa com a pulga atrás da orelha quando vou a restaurantes tradicionais (não vegetarianos) é o caldo utilizado no cozimento dos alimentos, como risoto e molho branco, por exemplo, que pode muito bem ser feito com carne e/ou carcaça animal. Tenho sempre que perguntar, confiar na resposta e entregar para Deus a decisão de pedir ou não o prato em questão.

Entendo que para aqueles que comem carne não há problema na utilização de um caldo de frango na sopa de aspargos e nem se importam se isso não está especificado no cardápio, afinal, não fazem restrição alguma. Já para os vegetarianos isso é terrível, pois diminuem ainda mais as opções nos cardápios de restaurantes tradicionais. Sem contar que nos obriga a entrar no papel do chato, que pergunta tudo ("tem caldo de frango?", "leva gelatina?", "a batata rostie é temperada com bacon?" e etc.). Mas tudo o que parece ser um problema de início, se torna uma oportunidade para irmos além. Diante de um mundo de opções não exploradas, podemos nos aventurar na cozinha, inventando pratos, preparando receitas vegetarianas de livros ou adaptando outras.

É sabido que os fundos, caldos, bordos, etc, enriquecem as preparações e são base para inúmeros molhos. Para fugirmos do tradicional caldo de legumes, que é um grande sopão de vegetais super cozidos, com gosto indefinido, compartilho aqui duas opções de caldos vegetarianos simples que fiz e deram super certo.


Caldo Claro de Cebola e Louro:

Restinhos de cebola (aquela parte que sobra, próxima à raiz, quando a cortamos em cubinhos)
2 a 3 folhas de Louro
500 ml de água

Coloque tudo para ferver, assim que começar os preparos de sua receita principal. Coe antes de utilizar. O Louro dá um aroma super agradável. É um caldo rápido de fazer e de sabor suave. Pode utiliza-lo para preparos de risotos, sopas e o que mais sua imaginação mandar.



Caldo Claro de Cogumelos:



Talos de cogumelos Portobello
Água

Ferva a água com os talos, lavados, do cogumelo. Diminua o fogo e deixe reduzir. Este eu acabei de fazer, para utilizar num risoto de Portobello que fiz para o almoço. A foto mostra o que sobrou. Daria para deixar mais tempo, para reduzir mais e acentuar a cor a aroma.


Ainda tenho que ajustar as medidas, mas, enquanto isso, quem gosta de cozinhar de olho já pode ir brincando.

Beijinhos e bom apetite!

Carol. ;)